Adubação da batatinha experiências com doses crescentes de potássio

Neste artigo os autores relatam os resultados de 10 experiências de adubação da batatinha (Solatium tuberosum L.), com doses crescentes de potássio (15, 30, 45, 60, 90 e 120 kg/ha de K2O), na presença de nitrogênio e fósforo. Essas experiências foram conduzidas entre os anos de 1943 e 1947, sendo duas em vasos, na Estação Experimental Central, Campinas, e oito no campo, em diferentes áreas de quatro localidades do Estado de São Paulo. Em média de tôdas as doses o efeito do potássio foi pequeno, tanto nas experiências em vasos como nas de campo. Na média destas a resposta máxima ao potássio, de + 10%, foi obtida com a dose de 45 kg/ha de K2O. Em três delas, instaladas em solos bem providos de potássio, a adubação potássica não aumentou o produção. Nas outras cinco, algumas das quais instaladas em solos pobres de potássio, a resposta máxima também foi alcançada com a dose de 45 kg/ha, mas elevou-se, em média, a + 18%, apesar de os "stands" terem sido seriamente prejudicados. As reduções sofridas pelos "stands" são atribuídas à escassez de chuvas no período imediato ao plantio e à aplicação das adubas nos sulcos destinados às batatas-semente, pouco antes da distribuição destas. Isso veio mostrar, mais uma vez, a necessidade de modificar o método de aplicação tradicionalmente usado em nosso meio.

Saved in:
Bibliographic Details
Main Authors: Boock,O. J., Freire,E. S.
Format: Digital revista
Language:Portuguese
Published: Instituto Agronômico de Campinas 1960
Online Access:http://old.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-87051960000100037
Tags: Add Tag
No Tags, Be the first to tag this record!